Monografias - Endodontia

Clique sobre o título da monografia para exibir o resumo


Comparativo da resistência à fratura de dentes submetidos a ação de dois ácidos

Ano.: 2001

Autor(a).: Adriana Aparecida de Souza


O presente estudo tem por objetivo comparar a resistência à fratura por força contínua de 32 dentes. Os dentes foram divididos em quatro grupos: Grupo I - controle negativo - hígidos; Grupo II - controle positivo - instrumentação e irrigação com (NaOCl) à 5,25%; Grupo III - Idem ao grupo II mais irrigação com EDTA à 17%; Grupo IV - Idem ao grupo II mais irrigação com ácido cítrico à 10% em pH 1,8. Os espécimes foram submetidos à carga contínua até a fratura. Os resultados mostraram que a força aplicada (média) para que houvesse fratura foi de: Grupo I - 2.871 KN; Grupo II - 1.600 KN; Grupo III - 1.168 KN; Grupo IV - 1.073 KN. Concluiu-se que os espécimes submetidos a ação do ácido cítrico à 10% em pH 1,8, apresentaram menor resistência à força contínua aplicada.


Reparo periapical, após tratamento endodôntico convencional

Ano.: 1996

Autor(a).: Adriana Manes Reis


O processo de reparo da região periapical baseia-se na remoção da causa da injúria, tecido inflamatório e/ou pulpar necrótico. Com o decréscimo da resposta inflamatória e aumento da formação de células (fibroblastos e células endoteliais) no tecido, organização e maturação fazem-se presentes.

Avaliou-se o reparo periapical com base no desaparecimento dos sinais e sintomas, conservação da função e retorno dos pontos normais da referência periapical nas radiografias.

O osso que foi reabsorvido como resultado da presença de inflamação foi substituído por novo osso; reabsorções cementárias e dentinárias apicais foram reparadas por cemento. O ligamento periodontal, que foi o primeiro tecido periapical a ser afetado, foi o último a ser restaurado em sua arquitetura normal.

A extensão do reparo foi proporcional ao grau e extensão do tecido injuriado, e a natureza do tecido destruído.

Constatou-se que todo tratamento endodôntico realizado dentro da técnica correta, dispondo-se de todas condições e meios antissépticos existentes mostra-se passível de alcançar o sucesso.


Comparativo do desvio de curvaturas por duas Técnicas de Instrumentação

Ano.: 2001

Autor(a).: Adriane Azevedo de Andréa


A curvatura do canal radicular proporciona um grau de dificuldade e complexidade que favorece a ocorrência de alteração na trajetória original do canal, após a instrumentação. As técnicas escalonadas vieram amenizar esse problema. Com maior alargamento da porção cervical e média da raiz, melhoraram-se as condições de acesso à região apical, diminuindo consideravelmente os desvios até então comuns as técnicas praticadas. O presente trabalho avaliou o desvio da curvatura do canal radicular em radiografias empregando a técnica do Preparo Cérvico Apical, utilizando-se Brocas Gates em ordem crescente 3,2,1 com limas K-flexofile. Ambas as técnicas proporcionaram variações angulares quando comparadas com angulação inicial do canal; porém a Técnica Anatômica Simplificada apresentou maiores desvios da curvatura, havendo uma maior abertura do ângulo referente ao trajeto original do canal radicular.


Avaliação in vitro da infiltração de alguns materiais seladores providórios usados em endodontia, frente à penetração de corantes

Ano.: 1996

Autor(a).: Alexandre Dias Moreira


No presente trabalho foram analisados comparativamente in vitro quatro tipos de materiais seladores provisórios, frente à penetração do azul de metileno a 0,5%.

Foram utilizados 42 dentes humanos, entre molares superiores e inferiores, onde realizaram os acessos coronários, os quais foram selados com os materiais em estudo, conforme as seguintes condições:Grupo I - Cimpat Bianc; Grupo II - Cavit R; Grupo III - IRM; Grupo IV - Pulpo San.

Após o selamento foram imersos no corante por 72 horas, logo em seguida lavados por 24 horas em água corrente, seccionados longitudinalmente e as infiltrações medidas.

Os resultados mostraram, que as menores infiltrações ocorreram com o Cimpat Blanc, seguido por Cavit R, Pulpo San, e IRM, sendo este último o material que apresentou as maiores infiltrações.


A influência do travamento apical do cone principal de guta-percha no resultado final de canais obturados por técnica convencional

Ano.: 2004

Autor(a).: Ana Cláudia Hara Hayashida


O presente estudo tem por objetivo verificar a influência do travamento apical do cone principal de guta-percha no resultado final de canais obturados por técnica de compactação lateral/vertical. Foram selecionados cinqüenta caninos humanos. Os espécimes foram divididos em dois grupos de vinte e dois, e instrumentados pela técnica do preparo cervical e forças balanceadas até a lima 50, sempre verificando a patência. Um grupo (A), teve o cone de guta-percha principal, bem travado no preparo apical. O grupo B foi instrumentado de forma que a última lima ficou pouco ajustada ao preparo apical. Conseqüentemente, o cone principal de guta-percha também ficou com adaptação folgada ao nicho apical. O grupo controle positivo (C) foi composto por quatro caninos e o controle negativo (D) por dois. Os espécimes foram obturados pela técnica de compactação lateral utilizando o cimento endodôntico Endofill. Após a impermeabilização, os dentes foram imersos em solução de azul de metileno por 72 horas. Foram lavados por 12 horas, secados e clivados. A leitura da infiltração pelo corante foi feita através do microscópio cirúrgico e a análise estatística revelou não haver diferença estatística significante entre as amostras testadas.


Reparo apical após cirurgia parendodôntica

Ano.: 1998

Autor(a).: Ana Lídia Klotz Ferreira Tomaz


O processo de reparo da região periapical baseia-se na remoção da causa da injúria, tecido inflamatório e/ou pulpar necrótico.

O reparo periapical foi avaliado com base no desaparecimento dos sinais e sintomas, conservação da função e retorno dos pontos normais da referência periapical na radiografia.

A lesão de origem endodôntica normalmente é resolvida com o tratamento endodôntico convencional, sendo este de primeira escolha, nos casos em que o reparo não ocorre após o tratamento endodôntico, cabe ao profissional verificar a necessidade de uma complementação cirúrgica, sendo importante observar o tipo de incisão, a técnica cirúrgica empregada, o tipo de sutura usada pois estes, entre outros fatores, são importantes para a ocorrência de uma reparação adequada.

O grau de inflamação, a idade do paciente, o tamanho da lesão pré-existente são fatores que influenciam o processo de cura e devem ser devidamente equacionados antes de se optar pelo ato cirúrgico.


Apicificação

Ano.: 1996

Autor(a).: Andréa Conceição da Silva Peixoto


Somente após cautelosa avaliação da radiografia inicial, detalhado exame clínico e criteriosa anamnese dá-se início à apicificação.

A escolha das possíveis técnicas depende, essencialmente, da forma e das características da região apical. Deve-se considerar, também, a disposição do paciente ao tratamento. Em alguns casos indica-se a apicificação em sessão única, como alternativa.

Entretanto, a técnica convencional tem sido aplicada, por apresentar melhores resultados.

Ao executar o preparo químico-mecânico é imprescindível analisar a espessura das paredes do canal pois estas não podem sofrer desgaste excessivo, o que facilitaria fraturas.

Atualmente o material indicado para induzir o fechamento apical é o hidróxido de cálcio.

A proservação do caso é fundamental para obter sucesso é fundamental para obter sucesso e, a periodicidade das visitas é determinada pela reabsorção ou não, do material introduzido no canal.

O prognóstico depende das condições do ápice; de como é feita a desinfecção; do preenchimento do conduto; e da persistência do paciente.


Avaliação comparativa in vitro sobre a resistência a tração entre pinos pré-fabricados de titânio reforçados com resina composta quando comparados com pinos metálicos fundidos ambos cimentados com enforce para reforço de raízes com grande perda dentinária

Ano.: 2000

Autor(a).: Anna Paula de Castro Elias Pançardes


A finalidade do presente trabalho é testar uma técnica simples, de fácil confecção para reforçar raízes tratadas endodonticamente, com grande perda dentinária interna e extremamente mutiladas, e que fatalmente poderiam ser condenadas à uma extração. Este estudo in vitro proporcionou fazer comparações entre dentes, como caninos e incisivos centrais superiores, reforçados com pinos metálicos fundidos e outros reforçados com resina composta, fazendo uso dos pinos plásticos fototransmissores Luminex e pinos de titânio, testando a resistência à tração destes dois tipos de pinos e materiais. Os dentes foram divididos em dois grupos com quinze espécimes em cada: Grupo I - Pino metálico fundido - quinze espécimes com preparos intra-radiculares amplos sem reforço de resina composta e com pinos metálicos fundidos em liga não preciosa Duracast, cementos com Enforce e o Grupo II - Pinos de titânio - quinze espécimes com preparo intra-radiculares amplos reforçados internamente com resina composta polimerizada com pino plástico fototransmissor, e logo após, foram colocados os pinos pré-fabricados de titânio Luminex, também cementados com Enforce sem rosquear. Os espécimes foram então submetidos à ação de um dinamômetro e tracionados com uma carga contínua até que houvesse a remoção do pino. Os resultados demonstram não haver significância enbtre os grupos testados, pois a média de força exercida na ação de tração para que os pinos se soltassem foi para o grupo I - 410,0 N e para o grupo II - 438,87 N, representando assim diferenças mínimas no resultado final, sem interferência.


Análise comparativa do preparo de canais radiculares curvos, empregando lima de aço inox e lima de níquel - titânio, avaliando o deslocamento apical, através da técnica de força balanceada

Ano.: 1998

Autor(a).: Antônio dos Reis Cury


A curvatura do canal radicular proporciona um grau de dificuldade e complexidade que torna relativamente comum a ocorrência da alteração morfológica de trajetória original do canal, após a instrumentação. A introdução de movimentos rotacionais em canais curvos, como a técnica de força balanceada possibilita que instrumentos mais calibrosos atinjam o cumprimento de trabalhos sem provocar desvios.

O presente trabalho avaliou o deslocamento do canal radicular a nível apical em radiografias após instrumentação empregando a técnica de força balanceada, utilizando a lima de níquel-titânio com secção triangular e ponta inativa e lima de secção quadrangular e ponta ativa de aço inoxidável.

Para esta avaliação foram utilizadas as raízes de mésio vestibular de 20 molares superiores que apresentavam-se com curvaturas. Os dentes foram divididos em 2 grupos de 10 cada, sendo o primeiro grupo preparado com limas Zipperer de aço inoxidável. Os resultados demonstraram que ocorreu diferença estatisticamente significante entre as limas, assim sendo as limas Zipperer proporcionaram 50% de desvio apical contra apenas 20% das limas Onyx-R, de onde pode-se concluir que o instrumento de níquel-titânio acompanha melhor a trajetória original do canal na região apical.


Avaliação da influência do preparo cervical na instrumentação de canais cursos

Ano.: 2006

Autor(a).: Camila da Gama Pina


Este trabalho procurou analisar a influência do preparo cervical na instrumentação de canais curvos nos terços médio e apical, comparando os preparos com brocas Gates-Glidden, Largo e limas de aço inoxidável, foram utilizados blocos de resina que simulam canais radiculares com curvatura de 20º, com as paredes internas cobertas por uma camada de tinta que foram divididos em grupos para o preparo químico-cirúrgico. Grupo A- Técnica escalonada ápico-cervical com limas tipo K-Flexofile #15 até #80. Grupo B - Técnica escalonada cervico-apical empregando previamente brocas Gates- Glidden (01-02-03) e limas tipo KFlexofile #15 a #30 no comprimento de trabalho. Grupo C- Técnica escalonada cervico-apical empregando previamente brocas Gates-Glidden (03-02-01) e limas tipo K-Flexofile #15 a #30 no comprimento de trabalho. Grupo D - Técnica escalonada cervico-apical empregando previamente brocas Largo (01-02) e limas tipo K-Flexofile #15 a #30 no comprimento de trabalho. Conclusões: a abertura cervical, prévia realmente facilita a entrada da lima no canal; a técnica que limpou melhor o terço apical foi a que usou brocas tipo largo e a que limpou pior foi a que utilizou brocas tipo Gates-Glidden 1, 2 e 3; a recapitulação a cada troca de limas é uma etapa muito importante na instrumentação do canal, pois evita entupimento do mesmo e desvios, conforme ocorreu em 20% dos espécimes do grupo A. Em relação ao desvio do canal, no terço médio onde começou a curvatura, a maioria dos espécimes desviaram para dentro da curvatura e no terço cervical para o oposto da curvatura.


Estudo comparativo "in vitro" sobre o melhor comprimento de trabalho a ser adotado

Ano.: 2004

Autor(a).: Carla Rodrigues Alves


O objetivo deste trabalho foi analisar o percentual, de extravasamento apical de limas localizadas no limite radiográfico de dentes unirradiculares humanos, extraídos e obtidos no banco de dentes da Associação Brasileira de Odontologia de Volta Redonda. Para tal experimento foram utilizados 20 (vinte) incisivos inferiores previamente radiografados e numerados ordinalmente. Os espécimes foram medidos através das radiografias. Em seguida, estes foram divididos em dois grupos de 10 (dez) com tamanhos padronizados. Procedeu-se então, com a determinação da patência de todos os espécimes, posicionando a lima no comprimento aparente do espécime, ou seja, no limite do ápice radicular. Sendo que o grupo I foi instrumentado e obturado no comprimento da patência e o grupo II foi instrumentado e obturado a 1,0 mm aquém da patência. Todos os passos foram anotados e radiografados. Tais medidas foram então comparadas visualmente para conferir se havia ou não extravasamento do instrumento e conseqüentemente da obturação via forame, lembrando sempre das medidas iniciais e dos recuos gradativos. Os resultados mostraram um extravasamento de 100% de cones dos espécimes obturados no limite radiográfico.

Palavras chave: odontometria - limite radiográfico - ápice radicular


Preparo do canal radicular técnica manual X técnica mecanizada

Ano.: 2005

Autor(a).: Carol de Oliveira Cunha


Verificou-se a eficácia dos instrumentos endodônticos quanto à limpeza das paredes do canal. Para tanto, utilizou-se 24 blocos de resina com canais simulados corados com tinta nanquim, que foram divididos aleatoriamente em quatro grupos de cinco blocos e um grupo de quatro blocos, cada qual instrumentado por uma técnica. Posteriormente, os blocos foram analisados com o auxílio de um microscópio cirúrgico, a fim de detectar a localização das sujidades remanescentes nos canais simulados. Adotou-se o critério de dividir os canais em três partes: terço cervical, terço médio e terço apical. Os resultados demonstraram que nenhuma das técnicas foi efetiva na limpeza do terço apical, e a parede interna da curvatura apical revelou-se o ponto crítico da instrumentação quanto à limpeza.

Palavras-chave: técnicas de instrumentação, endodontia, canais simulados.


Estudo comparativo da capacidade de selamento de dois cimentos endodônticos frente à infiltração por Enterococcus Faecalis

Ano.: 2003

Autor(a).: Cíntia Caldeira Bruno da Costa


O cimento obturador tem importante papel na realização de selamento eficiente do sistema de canais, permitindo melhor adaptação do material obturador com o tecido dentinário circundante, dificultando o acesso de microrganismos à região apical quando do término do tratamento endodôntico. O objetivo deste estudo foi avaliar a capacidade seladora de dois cimentos endodônticos resinosos (Sealer 26 e AH Plus) frente à infiltração por Enterococcus faecalis. Para tanto, 30 dentes unirradiculares foram selecionados, suas raízes foram cortadas para que se padronizasse seu tamanho em 13 mm e foi procedida a impermeabilização destas até dois mm aquém da saída foraminal. O PQC foi realizado até a lima nº 50. Dez dentes foram obturados com condensação lateral e cimento Sealer 26 (grupo A). No grupo B, dez dentes com cimento AH Plus. O grupo controle negativo possuiu cinco dentes impermeabilizados externa e totalmente e o grupo controle positivo, 5 raízes obturadas sem cimento. No laboratório, montou-se aparato acorde Torabinejad et al. (1990), onde se deixou a entrada dos canais radiculares obturados imersas em caldo BHI contendo E. faecalis. Os dois milímetros finais das raízes, não-impermeabilizados, foram imersos em caldo BHI estéril. Foram realizados observações diárias e o tempo que E. faecalis levou para contaminar o BHI estéril foi registrado.

A contaminação do BHI estéril no grupo A levou 17 dias, em média, e no grupo B, 24,6 dias. Não houve significância estatística entre estes grupos. No controle negativo não houve contaminação da solução estéril e no controle positivo a contaminação ocorreu em 2 dias.


Estudo in vitro da capacidade impermeabilizante do selante de fóssulas e fissuras quando utilizado sobre o remanescente obturador dos canais radiculares preparados para retentores

Ano.: 1998

Autor(a).: Cláudia de Carvalho Rodrigues


O preparo dos dentes para o retentor intra-radicular é um procedimento que pode pôr em risco a integridade da obturação endodôntica, se o remanescente obturador for exposto ã contaminação por saliva. 25 dentes unirradiculares foram obturados e o espaço para o retentor preparado imediatamente após a o obturação. Em 20 dentes , uma camada de 2mm de um selante de fóssulas e fissuras foi depositada e fotopolimerizada sobre o remanescente da obturação, a fim de testar sua capacidade impermeabilizante. O restante dos dentes serviu como controle positivo, em que nenhum material isolante foi utilizado. Os espécimes foram avaliados após imersão em corante por 72 horas. O selante não foi considerado adequado para o objetivo proposto, uma vez que 2/3 dos dentes apresentaram penetração do corante pela interface selante/dentina, atingindo, em muitos casos, o âmago da massa obturadora do canal.


Resistência à fratura de molares superiores tratados endodonticam ente e restaurados com resina composta ou restauração metálica fundida

Ano.: 2004

Autor(a).: Cláudia Rodrigues Alves


O presente trabalho comparou a resistência à fratura entre 23 espécimes. Grupo I - Elementos tratados endodonticamente, forrados com cimento ionômero de vidro (núcleo de preenchimento) e restaurados com Restauração metálica fundida, cimentados com cimento fosfato de zinco; Grupo II - Idem grupo I e com cimento ionomérico utilizado como base juntamente com a Resina Composta Fotopolimerizável (Zl00); Grupo III - Controle: dentes hígidos. Os espécimes foram submetidos a carga contínua até a fratura coronária. A média para o grupo I foi de 2.788 N, para o grupo II de 1.568 N e 3.058 N para o grupo controle. Concluiu-se que, em termos de materiais para dentes posteriores endodonticamente tratados, a resina fotopolimerizável apresenta resistência significativamente menor que a restauração metálica fundida.

Palavras-chave: Resistência - Restauração metálica fundida - Resina fotopolimerizável


Avaliação da dentina remanescente na região cervical de molares, após uso de brocas Gates-Glidden

Ano.: 2004

Autor(a).: Cláudio José de Paula


Observa-se grande preocupação em relação ao conhecimento da anatomia pulpar, pois sabemos que é fator fundamental para o desenvolvimento da endodontia e por isso existem vários estudos demonstrando as complexidades anatômicas do sistema de canais radiculares. Com vista a diminuir as dificuldades no preparo do canal radicular, principalmente de canais curvos, existem diversas técnicas de modelagem do canal radicular. Realizou-se um estudo através da análise de dados obtidos, tendo como objetivo a diminuição de insucesso no tratamento das raízes dos molares, devido às ocorrências de perfurações durante a instrumentação dos canais radiculares destes dentes, tendo como fato o diâmetro variável de dentina remanescente entre o canal radicular e o periodonto na região cervical das raízes distais de trinta molares.

A primeira leitura iniciou-se com o corte horizontal quatro milímetros abaixo da região de furca, logo após utilizarmos a broca Gates-Glidden nº 1. Após isso aferimos o remanescente dentinário da raiz distal, isso no sentido mesial e distal, e assim sucessivamente até a broca Gates-Glidden nº 5. Este trabalho mostra a necessidade de redobrada atenção ao utilizarmos essas brocas, tendo em vista que o desgaste na região cervical do canal deve ser realizado para o lado oposto da furca, pois caso contrário, certamente ocorrerá perfurações em nível cervical da raiz.


Avaliação comparativa da infiltração marginal de alguns materiais utilizados no tamponamento das perfurações de furca. Estudo "in vitro"

Ano.: 2000

Autor(a).: Daniela Camilher Gomes


Avaliação comparativa da infiltração marginal de alguns materiais utilizados no tamponamento das perfurações de furca. Estudo "in vitro".

No presente trabalho foram analisados comparativamente “in vitro" três tipos de materiais, frente à penetração do azul de metileno a 0,5% quando utilizados como materiais obturadores de perfurações de furca.

Foram utilizados trinta e seis molares inferiores humanos, onde se realizaram os acessos coronários e as perfurações de furca, as quais foram seladas com os seguintes materiais em estudo, conforme as condições a seguir: Grupo 1 - Sulfato de cálcio, Grupo 2 - Ionômero de vidro e Grupo 3 - Cimento de polimetilmetacrilato.

Após o selamento das perfurações, os espécimes foram imersos no corante por setenta e duas horas, logo em seguida lavados por vinte e quatro horas em água corrente, seccionados longitudinalmente e as infiltrações avaliadas.

Os resultados mostraram que as menores infiltrações ocorreram com o grupo do sulfato de cálcio, seguido pelo ionômero de vidro e pelo cimento de polimetilmetacrilato, respectivamente.

Palavras chave: Furca, Infiltração marginal, Perfuração.


Ação de um cianoacrilato sobre o remanescente da obturação dos canais radiculares instrumentados com um aparelho rotatório e preparados para núcleo metálico

Ano.: 2006

Autor(a).: Daniele Arieira de Souza Ghazzaoui


Por meio da ação de um agente traçador, avaliou-se a eficácia do selamento apical de dentes tratados endodonticamente, impermeabilizados ou não com um cianoacrilato e preparados para colocação de pinos protéticos. Fez-se o preparo químico-cirúrgico utilizando uma técnica de instrumentação rotatória em quarenta caninos humanos extraídos, que foram divididos em quatro grupos: dois grupos impermeabilizados pelo cianoacrilato (Grupo II e IV) e deixados com diferentes quantidades de remanescente obturador: 2 mm. (Grupo I e II) e 4 mm (Grupos III e IV). Após todos os procedimentos de selamento, imersão no traçador, lavagem e secagem dos espécimes, procedeu-se a clivagem e a análise da infiltração marginal. Os resultados demonstraram que a impermeabilização prévia por um cianoacrilato diminuiu a percolação apical, mesmo quando deixado uma menor quantidade de remanescente obturador. Houve diferença significante entre os grupos testados, a nível de 1% (alfa = 0,01).

Palavras chave: Impermeabilização dentinária; espaço protético; adesivo tissular.


Avaliação da infiltração marginal de alguns materiais utilizados no tamponamento de perfurações de furca

Ano.: 2001

Autor(a).: Elaine de Sá Chaves


O presente trabalho foram analisados comparativamente "in vitro" três tipos de materiais, frente à penetração do corante azul de metileno a 0,5%, visando a análise de um material obturador para perfurações de furca que possibilite um selamento eficiente. Utilizou-se para tal, o cimento de ionômero de vidro fotopolimerizável, agregando trióxido mineral e sulfato de cálcio com materiais obturadores das perfurações de furca.

Após o selamento das perfurações, os trinta espécimes utilizados foram imersos no corante por setenta e duas horas, logo em seguida lavados por vinte e quatro horas em água corrente, seccionados longitudinalmente e as infiltrações avaliadas. Os resultados obtidos mostraram que as menores infiltrações ocorreram com o grupo do cimento de ionômero de vidro fotopolimerizável e com o grupo do agregado trióxido mineral, seguidos pelo sulfato de cálcio.


Estudo tridimensional da morfologia interna dos pré-molares inferiores

Ano.: 2004

Autor(a).: Emanuel C. M. Periard


O objetivo desse trabalho é verificar a complexidade da anatomia interna do sistema de canais radiculares dos pré-molares inferiores, estudada aqui em três dimensões através da injeção de elastômeros de silicone (Silon), seguido da duplicação dos espécimes em resina acrílica e caracterização dos mesmos após o que os espécimes serão totalmente descalcificados. Esse trabalho visa mostrar a variação anatômica, que é invisível aos olhos do profissional, mas que se não for levada em conta, poderá gerar insucessos no tratamento. Nosso trabalho visa também, comparar nosso resultado com o de outros autores, que utilizaram outros métodos.


Avaliação do remanescente da obturação do canal com preparo para pino intra-radicular

Ano.: 2003

Autor(a).: Fabiana Amorim Calderaro


O preparo do espaço protético é um procedimento comum na clínica odontológica, porém dúbio sobre as várias técnicas de remoção da obturação, os tempos mediato e imediato e o comprimento do remanescente de obturação que deve ser deixado. 34 dentes unirradiculares foram obturados seguindo a técnica de Compactação lateral e imediatamente foi feito o preparo do espaço protético com o calcador do System B, deixando 10 espécimes com 2 mrn de remanescente de obturação (G I), 10 espécimes com 4 mm de remanescente de obturação (G II), 10 espécimes com 6 mm de remanescente de obturação (G III). Os espécimes foram imersos no agente traçador por 72 horas, clivados e analisados com o auxílio do microscópio cirúrgico. Os nossos melhores resultados foram alcançados quando deixados 4 mm de material obturador, embora estatisticamente não houve diferença com o (G III) de 6 mm de remanescente obturador.


Influência de um cianoacrilato na impermeabilização dos canais radiculares

Ano.: 2001

Autor(a).: Fabiana Rocha da Silva


A obturação do sistema de canais radiculares é a etapa que completa os procedimentos clínicos de esvaziamento, ampliação e desinfecção do canal. É fundamental que se consiga a impermeabilização do sistema de canais radiculares, para o sucesso da terapia endodôntica. O presente estudo tem por objetivo testar a influência de um cianoacrilato na impermeabilização dos canais radiculares. Testou-se a infiltração marginal em canais radiculares de três grupos: grupo I - obturados com cones de guta-percha e AH Plus; grupo II - impermeabilização com histoacryl, AH Plus e cone de guta-percha; grupo III - cone principal e cones acessórios impermeabilizados com histoacryl. Os espécimes foram mantidos em estufa a 37ºC durante 40 dias e imersos em soro fisiológico.

Houve diferença significativa no grau de infiltração, quando se comparou o grupo II com os grupos I e III. Não havendo contudo, diferenças significantes quando confrontados os grupos I e III.

Considerando que os testes com cianoacrilato associado à guta-percha e ao AH Plus tenham apresentado boas propriedades de impermeabilização, a realização de testes biológicos é necessária para a sua aprovação final.


Resistência à fratura de molares tratados endodonticamente e restaurados com resina composta híbrida ou condensável sobre ionômero de vidro

Ano.: 2004

Autor(a).: Fabrício Araújo Salgado


O Propósito deste estudo foi verificar a resistência à fratura de molares tratados endodonticamente e restaurados com resina composta híbrida ou condensável sobre ionômero de vidro.

Portanto, foram escolhidos 20 elementos dentários do grupo de molares superiores e inferiores, divididos aleatoriamente em dois grupos compostos de 10 dentes, sendo que, o Grupo I apresenta espécimes com preparo classe I restaurados com resina híbrida sobre ionômero de vidro; o Grupo II apresenta espécimes com preparo MOD restaurados com resina condensável sobre ionômero de vidro. Os espécimes restaurados foram armazenados em água, à temperatura ambiente por três dias, até a realização dos testes de esforço na máquina de testes de Amorin & Pereira. Os espécimes foram submetidos ao teste de compressão onde foi aplicada individualmente uma carga contínua até a fratura e os resultados obtidos nos testes até a rotura das coroas quando submetidos a curva de normalidade, resultaram em distribuição amostral não normal. Assim sendo, utilizou-se o teste de Kruskal - Wallis para comparar as amostras, observando a não significância de valores entre elas. A comparaçao entre as médias dos postos das amostras resultou em diferença não significante.


Importância do cimento obturador na infiltração marginal de dentes tratados endodonticamente

Ano.: 2006

Autor(a).: Fabrício Rodrigues Guerini


Este trabalho tem como objetivo o estudo do selamento apical de canais unirradiculares com ou sem a utilização de cimentos obturadores (Endofill e Sealer 26). Na execução do trabalho foram selecionados quarenta dentes, em cujo preparo químico-mecânico foi utilizado solução de hipoclorito de sódio a 5,25% e a instrumentação foi feita até a lima 60. Nas obturações foi utilizado apenas o cone principal de guta-percha. Nesta seleção separou-se os espécimes em grupos experimentais, impermeabilizados com Super Bonder e esmalte de unha, da seguinte maneira:

Grupo A - (10 dentes): foi utilizado o cone principal de guta-percha sem nenhum cimento obturador;

Grupo B - (10 dentes): usou-se o mesmo critério do grupo A, mas com o cimento obturador Sealer 26;

Grupo C - (10 dentes): seguiu-se a mesma rotina do grupo A, mas com o cimento obturador Endofill;

Grupo D - Controle negativo - (5 dentes): Neste grupo os dentes foram impermeabilizados em toda superfície radicular;

Grupo E Controle positivo - (5 dentes): os dentes foram instrumentados, impermeabilizados e não receberam o cone de guta-percha.

Após a seleção e execução dos preparos, os dentes foram imersos em solução de azul-de-metileno permanecendo assim por 72 horas. Posteriormente os dentes foram clivados e analisados. Na análise foi estudada a infiltração do corante para o interior do canal radicular com o intuito de avaliar a eficiência do selamento apical. Os resultados mostraram que não houve diferenças estatisticamente significantes entre os espécimes.


Avaliação comparativa in vitro do selamento apical de canais instrumentados pelo ultra-som ou manualmente

Ano.: 2000

Autor(a).: Felipe de Paula Chaves


O objetivo deste estudo foi verificar a eficiência do selamento apical, quando a obturação dos canais se deu após preparo realizado por duas técnicas distintas: a manual, com preparo do patente apical, e a ultrassônica.

Para tanto, utilizo-se 28 dentes humanos unirradiculares , possuidores de um canal único, que foram divididos aleatoriamente em dois grupos de quantidades iguais; cada qual instrumentado por uma das técnicas acima citadas. Os espécimes de ambos os grupos foram obturados pela técnica de condensação lateral e colocados em corante azul de metileno a 0,5% por 72 horas, à uma temperatura de 37 ºC.

Os resultados demonstraram que, apesar da diferença estatística ser insignificante, o grupo da instrumentação manual (G2) apresentou menor média de infiltração do corante do que o grupo instrumentado pelo ultra-som (G1).


Avaliação do Remanescente da obturação do canal radicular com preparo para pino intra-radicular com ou sem impermeabilização prévia com um Cianoacrilato

Ano.: 2007

Autor(a).: Fernanda Barroso Cavaliere

Orientador(a).: Dr. Fernando dos Santos Pereira Silva


Por meio da ação de um agente traçador, avaliou-se a eficácia do selamento apical de dentes tratados endodonticamente, impermeabilizados ou não com um cianoacrilato e preparados para colocação de pinos protéticos. Fez-se o preparo químico-cirúrgico utilizando uma técnica de instrumentação manual em quarenta dentes unorradiculares humanos extraídos, que foram divididos em quatro grupos: dois grupos impermeabilizados pelo cianoacrilato (Grupo II e IV) e deixados com diferentes quantidades de remanescente obturador: 2 mm (Grupo I e II) e 4 mm (Grupos III e IV). Após todos os procedimentos de selamento, imersão no traçador, lavagem e secagem dos espécimes, procedeu-se a clivagem e a análise da infiltração marginal. Os resultados demonstraram que a impermeabilização prévia por um cianoacrilato diminuiu a percolação apical, mesmo quando deixado uma menor quantidade de remanescente obturador. Houve diferença significante entre os grupos testados, a nível de 1% (alfa = 0,01).

Palavras Chave: impermeabilização dentinária; espaço protético; adesivo tissular.


Influência da medicação intra-canal no PH do meio externo, na presença ou não de magma dentinário

Ano.: 2003

Autor(a).: Flávia Oliveira Grotaers Mendonça

Orientador(a).: Dr. Fernando dos Santos Pereira Silva


Este trabalho avaliou "in vitro"' a capacidade de alteração do pH do meio externo onde os espécimes se situavam. Para tal utilizou-se PRP e hidróxido de cálcio com paramono como medicação intra-canal, com espécimes com e sem magma dentinário. Os espécimes foram divididos em 5 grupos: grupo I - instrumentação, irrigação com NaOCL à 2,25%, irrigação final com água destilada e como curativo PRP; grupo II - idem ao grupo I mais irrigação com EDTA a 17%; grupo III - idem ao grupo I, porém preenchido com hidróxido de cálcio com paramono; grupo - IV idem ao grupo II, porém preenchidos com hidróxido de cálcio com paramono e grupo V - grupo controle idem ao grupo I, porém não foram preenchidos com nenhum medicamento intra canal. Em seguida, realizamos leitura do pH periodicamente de todos os espécimes.


Comparativo de alguns materiais utilizados no selamento de perfurações de bifurcação

Ano.: 2004

Autor(a).: Flávia Maria Ferreira


No presente trabalho testou-se "in vitro" dois tipos de materiais em situações diferentes, visando a melhor impermeabilização de perfurações em bifurcações dentárias. Utilizou-se o Azul de metileno a 0,5 %, como agente traçador. Testou-se a eficácia destes materiais em situações de impermeabilização com um cianoacrilato posterior ao reparo, ou não, em quatro grupos: grupo I - Perfurações reparadas com resina fotopolimerizável; grupo II - Reparos com resina fotopolimerizável e impermeabilização com Dermabond®; grupo III - Agregado Trióxido Mineral; grupo IV - Agregado Trióxido Mineral e impermeabilização com Dermabond®. Os resultados obtidos mostraram que as menores infiltrações ocorreram com o grupo da resina composta associada ao Derrnabond®.

É sabido da existência de inúmeros materiais utilizados neste tipo de tratamento, ficando a dúvida de qual seria a melhor opção, qual material conseguiria unir o maior número de características ideais, já que a literatura nos mostra divergência de opiniões quanto ao comportamento dos diversos materiais. Sendo assim parece de grande valia a realização deste estudo.

Dessa forma no presente trabalho serão utilizados a resina fotopolimerizável e o agregado trióxido mineral (MTA) associados a um cianoacrilato, já que este último tem demonstrando sua efetividade na impermeabilização dentinária. Poderia o adesivo cianoacrilato melhorar a impedir infiltração marginal na interface dos materiais aqui testados para o reparo das perfurações?


Avaliação in vitro da utilidade do aparelho de ultra-som na remoção de núcleos metálicos fundidos cimentados com cimento de oxifosfato de zinco

Ano.: 2000

Autor(a).: Gerson Cruz de Carvalho


O objetivo deste presente trabalho foi avaliar a possível utilidade do aparelho de ultra-som na remoção de núcleos fundidos cimentados com cimento de oxifosfato de zinco.

Foram utilizados 40 dentes unirradiculares, sendo estes preparados para receber núcleos intra-canais fundidos. Após a cimentação dos núcleos , os espécimes foram divididos em 4 grupos de 10 dentes, a saber: Grupo I (Controle) - submetido a teste de tração sem aplicação prévia do ultra-som; Grupos II, III e IV - submetidos a teste de tração após aplicação da vibração ultra-sônica por 20,30 e 40 minutos, respectivamente. A remoção dos núcleos foi feita através do dinamômetro de Amorim&Pereira.

Após o término da análise estatística, concluímos ter sido útil o aparelho de ultra-som como meio auxiliar na remoção de núcleos fundidos. Os resultados demonstraram diferenças estatisticamente significantes quando comparado o Grupo I (Controle) com os demais grupos. Porém, quando comparados os grupos que receberam ultra-sonificação entre si, não foi observada diferença estatistica significante.


Influência do magma dentinário em canais obturados com ou em prévia impermeabilização dentinária

Ano.: 2003

Autor(a).: Giani de Paula Garani


O objetivo principal da obturação endodôntica é a obtenção de um adequado selamento, que permitia a vedação em forma tridimensional do espaço endodôntico. É necessário que se consiga a impermeabilização do sistema de canais radiculares para o sucesso da terapia endodôntica. Sendo assim o objetivo desse trabalho foi verificar a eficácia do 2- octilcianoacrilato (Dermabond) na impermeabilização dos canais radiculares, com ou sem a remoção do magma dentinário. Quarenta dentes unirradiculares divididos em quatro grupos foram utiliados para verificar o comportamento impermeabilizante do adesivo junto a guta-percha e o cimento Endofill, ora na presença de magma dentinário, ora na remoção deste. Grupo 1 - espécimes obturados com guta-percha e Endofill; Grupo 2 - espécimes sem magma dentinário e obturados; Grupo 3 - espécimes com magma dentinário, impermeabilizados com Dermabond e obturados; Grupo 4 - espécimes sem magma dentinário, impermeabilizados com Dermabond e obturados. Os espécimes foram mantidos em estufa a 37°C durante quarenta dias e imersos em soro fisiológico. Os resultados obtidos mostraram diferenças significantes na maior parte dos grupos. Não havendo contudo, diferenças significantes quando comparados os grupos 1 e 4.


Avaliação da capacidade seladora de três materiais: MTA, SEALER 26 e SUPER EBA

Ano.: 2007

Autor(a).: Gisele Rodrigues Fernandes

Orientador(a).: Dr. Fernando dos Santos Pereira Silva


A utilização de técnicas e materiais que propiciem um selamento apical hermético é de fundamental importância ao sucesso da cirurgia parendodôntica. Avaliou-se in vitro, a capacidade seladora de três diferentes materiais em retrobturações apicais. Com esse fim, dividimos os dentes em três grupos de acordo com o material utilizado: Grupo I: Cimento MTA; Grupo II: Cimento Sealer 26; Grupo III: Cimento Super EBA. Fez-se o tratamento endodôntico convencional, e foi executada a apicectomia e em seguida o retropreparo com brocas de alta rotação. Os espécimes ficaram armazenados em umidade relativa por vinte e quatro horas e posteriormente impermeabilizados. As retrobturações foram realizadas e os dentes imersos em solução de azul de metileno 0,5%, pH 7,2 , por vinte e quatro horas em uma estufa à temperatura de 37ºC. Submetidos à ação do agente traçador, os espécimes foram clivados no sentido longitudinal. A infiltração marginal foi mensurada com o auxílio de microscópio cirúrgico e tela milimetrada. Tabulados, os resultados sofreram tratamento estatístico que apontou diferença significante entre Super EBA x Sealer 26 e MTA x Sealer 26. O material que sofreu menor infiltração foi o Sealer 26 em seguida o MTA e Super EBA respectivamente.

Palavras chave: apicectomia, obturação retrógrada; infiltração marginal


Hidróxido de cálcio X Paramonoclorofenol X pH

Ano.: 2003

Autor(a).: Helen Mara de Oliveira Gil


O objetivo do presente trabalho foi não só verificar se o Paramonoclorofenol modificaria o pH do meio externo, como também avaliar a influência do magma dentinário na difusão dos íons hidroxilas em espécimes fixados em frascos repletos de água destilada e canais preenchidos com hidróxido de cálcio ou PRP. Estes espécimes foram divididos em quatro grupos: grupos I e II - instrumentação, irrigação com hipoclorito de sódio à 5,25%, irrigação final com água destilada e preenchimento com hidróxido de cálcio, diferenciando entre si apenas na irrigação intermediária com EDTA à 17% no grupo II e grupo III e IV- tiveram o mesmo procedimento dos grupos anteriores quanto a instrumentação e irrigação, porém preenchidos com PRP, onde o grupo IV recebeu irrigação complementar com EDTA. Em seguida, foram realizadas leituras periódicas do pH de cada espécime e feita análise estatística.

Os resultados mostraram que houve diferença estatisticamente significante entre os medicamentos intracanais testados e que não houve diferença significante quanto à presença de magma dentinário.


Selamento coronário associado a cianoacrilato de etila em endodontia

Ano.: 2004

Autor(a).: João Fernando Melro Pêcego

Orientador(a).: Dr. Fernando dos Santos Pereira Silva


O selamento coronário temporário é importante para manter a desinfecção do canal entre as sessões. Este estudo “in vitro" comparou a qualidade do selamento coronário de materiais seladores provisórios associados a cianoacrilato de etila. Foram selecionados 40 dentes molares. Nos espécimes foram feitos acesso endodôntico, esvaziamento da câmara pulpar e selamento com os materiais em estudo, divididos em 4 grupos: Grupo I - Coltosol®, Grupo II - Pulposam®, Grupo III -Coltosol® + Cianocrilato, Grupo IV -Pulposam® + Cianoacrilato. Os dentes, após o selamento, foram imersos em corante por 72 horas, em seguida lavados por 24 horas em fio de água corrente, seccionados longitudinalmente e as infiltrações medidas.

Os resultados mostraram que a ordem do melhor selador para o menos eficiente foi: Coltosol® + Dermabond®, Pulposam® + Dermabondo®, Coltosol®, Pulposam®. Houve diferença significativa no grau de infiltração quando se comparou o grupo II e o grupo III. Entretanto, não houve diferença significante entre os demais grupos.


Avaliação comparativa in vitro sobre a resistência a fratura entre raízes com grande perda dentinária interna reforçados com núcleo metálico ou reforçadas com resina composta de pinos de titânio

Ano.: 1998

Autor(a).: Júlio César Candeloro


Este estudo "in vitro" procurou avaliar comparativamente a resistência à fratura de caninos superiores com grande perda dentinária interna reforçados com núcleo metálico ou com resina composta, polimerizada com auxílio de pinos plásticos fototransmissores Luminex, e pinos de titânio. Foram utilizados no experimento 23 caninos superiores que foram divididos em 3 grupos: Grupo I - Controle - 3 dentes hígidos; Grupo II - Núcleo metálico - 10 espécimes com preparos intra-radiculares amplos sem reforço de resina composta e com núcleos metálicos fundidos em liga não preciosa Goldent; Grupo III - Pinos titânio - 10 espécimes com preparos intra-radiculares amplos reforçados internamente com resina composta e com pinos pré-fabricados de titânio Luminex.

Os espécimes foram submetidos a carga contínua até a fratura obtendo-se os seguintes resultados: Média de força aplicada para que o espécime fratura-se; Grupo I - 2006 N; Grupo II - 1400,1 N; Grupo III - 1334,2 N. Através da análise dos resultados obtidos concluímos que não houve diferença estatística entre os grupos II e III.


Avaliação da eficácia do uso de óleo de laranja como auxiliar na desobstrução de canais radiculares, obsturação com cimento de óxido de zinco e eugenol

Ano.: 2000

Autor(a).: Karla Verônica Gonçalves Pinto


Neste estudo vinte e cinco dentes humanos, unirradiculares, extraídos tiveram os terços cervical e médio de seus canais preparados com brocas Gates-Glidden números 1, 2, 3 e 4 e preenchidos estes espaços com cimento de óxido de zinco e eugenol (grupos 1 e 2) e guta-percha com cimento de Grossman (grupos 3 e 4) de diferentes modos a fim de testar a eficácia do óleo de laranja como substância solvente quando for comparado ao eucaliptol. Os resultados apontam para a excelente ação do óleo de laranja como substância solvente do cimento de óxido de zinco e eugenol e também conseguindo um bom desempenho sobre a guta-percha. O eucaliptol aqui confirma suas propriedades sobre a guta-percha, não sendo efetivo quando utilizado nos canais obturados com cimento de óxido de zinco e eugenol.


Comparativo da capacidade de selamento apical em função da solução irrigadora e do cimento obturador do sistema de canais radiculares

Ano.: 2004

Autor(a).: Kátia Amorim do Couto


O presente estudo tem por finalidade, comparar a capacidade de selamento apical do cimento de Grossman em interação com duas soluções utilizadas na irrigação final do preparo químico-mecânico, o hipoclorito de sódio a 5,25% e o EDTA-T (ácido etilenodiaminotetracético sal dissódico associado ao Tergentol). Trinta caninos foram selecionados e durante o preparo químico-mecânico, todos foram irrigados com 1m1 de hipoclorito de sódio a 5,25% e instrumentados até a lima 50. Após a instrumentação, os dentes foram divididos de acordo com a solução irrigadora final, em dois grupos experimentais de quinze dentes cada. Grupo 1: Irrigação final com 10m1 de hipoclorito de sódio a 5,25%; Grupo 2: Irrigação final com 10m1 de EDTA-T. Após a impermeabilização com esmalte de unha, os dentes foram imersos na solução de azul de metileno por 72 horas. Foram clivados e os resultados obtidos foram submetidos ao Teste de Mann-Whitney para análise estatística. E, segundo esta análise, não houve diferença estatisticamente significante entre os dois grupos testados.


Variações na configuração radicular interna de prémolares inferiores humanos, em decorrência da presença de sulcos radiculares

Ano.: 1998

Autor(a).: Kazumi Koga


Com o objetivo de obter maiores informações a respeito da anatomia internba de prémolares inferiores foram analisados in vitro 100 espécimes. Todos portadores de sulco radicular em pelo menos uma face da raiz, sendo, superficiais, de média profundidade ou profundos. Entretanto nenhum apresentando bifurcação ou trifurcação de seus ápices.

A metodologia utilizada para a pesquisa foi a descalcificação - diafanização associada à injeção de tinta nanquim no interior da cavidade pulpar. Esta técnica torna o dente transparente, proporcionando uma visão tridimensional sem que ocorra modificação da sua forma original, e conseqüentemente possibilitando observar possíveis alterações existentes nos canais radiculares.

Completada a diafanização, os espécimes foram analisados com auxílio de negatoscópio e uma lupa de aumento 3x.

Concluiu-se que 43% dos espécimes apresentaram um canal,49% dois canais, 8% três canais. Verificou-se também a presença de delta apical em 25% dos espécimes.


Avaliação comparativa da infiltração marginal em obturação de canais radiculares, influência de soluções irrigadoras e cimentos obsturadores

Ano.: 2000

Autor(a).: Larissa Teresa Mendes Meyer Ferreira


O presente estudo tem por objetivo comparar a capacidade de selamento de dois cimentos obturadores, o Sealer 26 e o Endofill em interação com duas soluções de irrigação final, o Líquido de Dakin e o EDTA-T (ácido etilenodiaminotetracético sal dissódico associado ao Tergentol).

Com esse objetivo foram selecionados quarenta 40 unirradiculares. Durante o preparo químico-mecânico foi adotada a associação Endo-PTC e Líquido de Dakin, onde todos foram instrumantados até a lima 50.

Após a instrumentação, os dentes foram divididos aleatoriamente em quatro grupos experimentais de 10 dentes cada, e separados de acordo com a solução de irrigação final e o cimento obturador, usados como se segue: Grupo 1 - irrigação final com 10 ml de Líquido de Dakin e obturação com Endofill; Grupo 2 - irrigação final com 10 ml de Líquido de Dakin e obturação com Sealer 26; Grupo 3 - irrigação final com 10 ml de EDTA-T e obturação com Endofill; Grupo 4 - irrigação final com 10 ml de EDTA-T e obturação com Sealer 26.

Após a impermeabilização, os denttes foram imersos em solução de azul de metileno, onde permaneceram por 72 horas. Foram clivados, agrupados e fotografados em filmes para slides, A partir daí, os resultados obtidos foram submetidos ao tratamento estatístico de Krushal - Wallis. Segundo esta análise não houve diferença estatisticamente significante entre os grupos testados.


Estudo comparativo "in vitro" da infiltração marginal apical entre as técnicas de condensação lateral e condensação vertical da guta-percha aquecida de Schilder

Ano.: 2001

Autor(a).: Leandro Salvarani Cabral


Foram utilizados 22 dentes unirradiculares humanos, provenientes do banco de dentes da ABO-VR, com seus ápices completamente formados, extraídos por razões diversas. Após a realização do acesso e do preparo químico mecânico dos canais radiculares, os mesmos foram divididos em dois grupos de 10 e um grupo de controle de 2 dentes. Cada grupo dói obturado pelas técnicas de condensação lateral e de Schilder, exceto o grupo controle que ficou só com a instrumentação. Depois de impermeabilizados, os espécimes foram clivados, observando-se a infiltração linear de corante. Pode-se observar que a técnica de condensação lateral apresentou menores escores de infiltração marginal apical do que a técnica de Schilder.


Análise clínica-laboratorial do controle asséptico do lençol de borracha, frente a três soluções químicas desinfetantes

Ano.: 1998

Autor(a).: Leonardo Bihari


O presente trabalho mostra um estudo da eficácia de materiais e métodos, utilizados por grande parte dos cirurgiões-dentistas, na assepsia do lençol de borracha, durante o tratamento endodôntico.

Para a realização deste trabalho foram selecionadas, através de pesquisa com 100 profissionais no Estado do Rio de Janeiro, 3 soluções desinfetantes . Bem como os tempos operatórios de uso das mesmas.

Foram analisadas 14 amostras de lençol de borracha. Das quais 6, eram provenientes de tratamentos endodônticos realizados com diversos elementos apresentado necrose pulpar, e de outras 8 amostras, provenientes diretamente da caixa.

As diversas amostras foram divididas aos pares, e assim submetidas ou não ao uso de uma das 3 soluções desinfetante.

Posteriormente, as amostras do lençol de borracha foram analisadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública Noel Nutels, em relação à eficácia do controle asséptico sobre os microorganismos aeróbios presentes durante o tratamento.

Pelos resultados obtidos pôde-se concluir que a técnica de controle asséptico realizado no lençol de borracha, não mostrou-se completamente eficaz.


Comparativo entre canais obturados e extravasados contra canais obturados pela Técnica Convencional

Ano.: 2008

Autor(a).: Luciana Braga de Aguiar


O sucesso do tratamento endodôntico depende de uma série de fatores entre eles de se conseguir obturações com bom grau de vedação marginal apical. Preparando o canal radicular com instrumento rotatório de níquel-titânio obtem-se preparos de regularidade e conicidade diferente daquelas conseguidas através da instrumentação manual. Esse estudo comparou a infiltração apical de corante entre dentes instrumentados manualmente e obturados pela técnica de compactação lateral e dentes instrumentados por aparelho rotatório e obturados pela técnica do cone único. Foram utilizados 32 molares inferiores divididos em grupos: G1 instrumentados manualmente e obturados a 1 mm do ápice radiográfico pela técnica da compactação lateral, G2 instrumentados por rotatórios acionados pelo aparelho Easy Endo e obturados sem travamento apical pela técnica do cone único. Os espécimes foram imersos em agente traçador e depois clivados para verificar a infiltração marginal apical. A análise dos dados permitiu concluir que todos os dentes apresentaram infiltração marginal apical, estatisticamente comparando os resultados a diferença entre os grupos G1 e G2 não foi significante.

Palavras-chave: Obturação do canal, infiltração.


Avaliação da eficiência de um aparelho audiométrico na localização do forame apical

Ano.: 2004

Autor(a).: Luciana Silva Rosa

Orientador(a).: Dr. Fernando dos Santos Pereira Silva


Foi testado o aparelho Bingo 1020 na aferição do limite de trabalho em dentes com extração indicada, para confecção de prótese. Realizada a cirurgia de acesso, foi acoplada uma lima endodôntica ao aparato eletrônico, e introduzida no canal até que ele indicasse que se alcançou 1,0 mm aquém do ápice. Essas medidas foram transferidas para uma tabela. Em seguida os dentes eram extraídos, limpos e identificados, reposicionou-se as limas nos canais com as medidas obtidas pelo localizador eletrônico, e procedeu-se a análise visual dos ápices com o auxílio de uma lupa, a fim de verificar se ocorreu algum extravasamento. Nos casos em que não se viu a ponta da lima na saída do forame, retirava-se a lima do canal e aumentava-se a medida em 1,00 mm, retomando com ela para o interior do canal e tornando a verificar se o instrumento aparecia no forame apical. Os resultados apontaram que, para 80% dos espécimes o aparelho foi preciso. Em 10% dos espécimes houve extravasamento do forame apical e em 10%, a lima foi posicionada aquém da medida proposta.

Palavras-chave: Comprimento de trabalho - forame apical - Bingo 1020.


Avaliação comparativa in vitro da atividade antibacteriana de algumas substâncias utilizadas como medicação intra canal, e da capacidade seladora de alguns materiais restauradores provisórios

Ano.: 1998

Autor(a).: Luciano Marques de Barros


No presente trabalho foram avaliados comparativamente"in vitro" a capacidade de inibir o crescimento bacteriano de quatro substâncias utilizadas como medicação intracanal, juntamente com quatro tipos de materiais seladores provisórios frente à penetração marginal lateral do corante azul de metileno a 0,5%.

A primeira etapa do estudo consistiu em avaliar a eficácia dos medicamentos intracanais, nos quais foram utilizadas as seguintes substâncias: P.R.P.; pasta de hidróxido de cálcio P.A. associada ao Paramonocloferol canforado; pasta de hidróxido de cálcio associada ao P.R.P.; pasta de hidróxido de cálcio P.A. e água destilada.

Os medicamentos foram manipulados e depositados em placas de Petri contendo como meio base de Ágar Mueller Hilton adicionado de 5% de sangue desfibrinado. Em seguida, as placas devidamente identificadas, foram colocadas no interior de uma jarra de anaerobiose, sendo incubadas em uma estufa à 37ºC por 2 dias.

Diante da mensuração dos halos de inibição, de cada placa, pode-se constatar que não houveram diferenças estatisticamente significativas entre os medicamentos testados.

Na segunda etapa do estudo, foram utilizados 40 molares humanos, extraídos por motivos diversos, e divididos em quatro grupos experimentais da seguinte forma: grupo I: Cavit; grupo II: Cimpat; grupo III: Z.O.E.; grupo IV:Citodur.

Após o selamento das cavidades, os espécimes foram imersos no corante por 72 horas. Em seguida, foram lavados por 24 horas em água corrente, seccionados longitudinalmente e as infiltrações analisadas individualmente.

Os resultados mostraram que nos menores índices de infiltrações ocorreram, em ordem crescente, da seguinte forma: grupo IV: Citodur; grupo II: Cimpat; grupo I:Cavit e grupo III: Z.O.E.


Avaliação comparativa in vitro do preparo do canal radicular proporcionado pôr instrumentos rotatórios e instrumentação ultra-sônica

Ano.: 1996

Autor(a).: Luciene Marques Fernandes


Neste estudo, a instrumentação ultra-sônica e o uso de brocas Gates Glidden e de Largo como auxílio à instrumentação manual foram comparados quanto a forma final do preparo do canal e o desgaste dentinário das paredes mesial e distal.

Foram utilizadas 30 raízes mésio-vestibulares de molares superiores. Cada raiz foi avaliada em 3 níveis (à 2mm, à 4mm e a 6mm do colo clínico), através da projeção em slides das fotografias para se obter contornos do canal radicular, antes e depois da instrumentação.

Segundo os resultados, a instrumentação ultra-sônica desgasta as paredes dentinárias de forma irregular. Porém com o uso da broca Gates Glidden e de Largo os canais cirúrgicos apresentaram formas esférico-cônicas , na maioria das vezes.

Nos três métodos testados, o desgaste da parede distal foi maior do que o da parede mesial.


Capacidade vedante do remanescente apical de guta-percha após o preparo para pino

Ano.: 2003

Autor(a).: Lucyane Guimarães Mendes Gonçalves


O presente trabalho tem por objetivo verificar in vitro o selamento apical do remanescente de guta-percha em dentes tratados endodonticamente e com seus condutos preparados para colocação de retentores-intraradiculares. Foram selecionados 40 dentes unirradiculares superiores onde através de seus forames passava-se uma lima número 10. Após a seleção realizou-se tratamento endodôntico de forma que a instrumentação foi conduzida até a lima tipo kerr número 55, sempre se utilizando irrgação com soda clorada 2,5% e aspiração. O cone principal foi selecionado e posicionado com o cimento Sealer-26 a 1,0 mm aquém do ápice radicular e subseqüente condensação lateral. Os dentes foram radiografados e aleatoriamente divididos em 5 grupos: Grupo I: remanescente de guta-percha com 2,0 mm de comprimento; Grupo II: remanescente de guta-percha com 4,0 mm de comprimento; Grupo III: remanescente de guta-percha com 6,0 mm de comprimento; Grupo IV: controle positivo - instrumentado e sem obturação; Grupo V: controle negativo - totalmente impermeabilizado inclusive o ápice radicular com cianoacrilato. Os grupos tiveram seus condutos preparados para colocação de retentor intra-radicular imediatamente após a obturação, com auxílio de instrumento aquecido, brocas de Gates-Glidden números 1,2 e 3 e broca de largo números 1, 2 e 3. Após o preparo os espécimes foram impermeabilizados internamente com duas camadas de Superbond a 1,0 mm aquém do remanescente de guta percha, e externamente deixando-se o 1/3 (terço) apical com 1,0 mm de comprimento sem ser impermeabilizado. Ficaram 30 dias imersos em solução de soro fisiológico. Após este período foram imersos em solução de azul de metileno 2% por 72hs em estufa a 37° C, em seguida clivados e avaliados utilizando-se um microscópio cirúrgico com lente 25 e sobreposto a cada espécime uma escala milimetrada.

Conclui-se que numa avaliação entre os grupos isoladamente, foi possível determinar que o grupo III (com 6.0mm de remanescente de guta-percha apical) apresentou o melhor resultado.


Instrumentação de canais simulados: Técnica manual x Técnica mecanizada

Ano.: 2007

Autor(a).: Maite Schendes Granado

Orientador(a).: Dr. Fernando dos Santos Pereira Silva


O presente estudo tem como objetivo analisar a eficácia dos instrumentos endodônticos quanto à limpeza das paredes do canal, dando ênfase às curvaturas. Para isso, foram utilizados 30 (trinta) blocos de resina padronizados com canais simulados, com curvatura de 20 graus.

Os 30 (trinta) blocos acima citados foram divididos em três grupos com 10 (dez) espécimes cada.

Após a instrumentação, adotou-se o critério de dividir os canais em três partes - terço cervical, terço médio e terço apical - para análise visual.

Palavras-chave: Técnicas de instrumentação. Canais simulados. Endodontia.


Avaliação in vitro da freqüência de extravasamento apical de material obturador pelas técnicas de obturação híbrida modificada e condensação lateral

Ano.: 1996

Autor(a).: Marcelo Maia Miranda


O objetivo do presente estudo foi comparar a freqüência de extravasamento apical de material obturador pelas seguintes técnicas de obturação: condensação lateral ativa e híbrida modificada.

Foram empregados 20 dentes unirradiculares humanos extraídos, que tiveram seus canais instrumentados e obturados pelas técnicas citadas.

Os 20 espécimes, foram divididos em 2 grupos de 10. Observou-se após a obturação, que houve extravasamento apical de material obturador em dois espécimes de cada grupo.


Avaliação da infiltração marginal em materiais utilizados no tamponamento de perfurações de bifurcação radiculares

Ano.: 2007

Autor(a).: Marciana Aparecida Franco

Orientador(a).: Dr. Fernando dos Santos Pereira Silva


No presente trabalho foram analisados comparativamente “in vitro" três tipos de materiais obturadores, frente à penetração do corante azul de metileno a 0,5%, e pH 7, 4, com o intuito de avaliar a eficácia de cada um. Utilizou-se para tal, a Resina Composta; agregado trióxido mineral (MTA) e Super Eba como material obturador das perfurações de bifurcação. Após o selamento das perfurações, os vinte espécimes foram imersos em um corante por setenta e duas horas; logo em seguida lavados por vinte e quatro horas em água corrente, seccionados longitudinalmente e as infiltrações marginais avaliadas com o auxílio de um microscópio cirúrgico e tela milimetrada. Os resultados apontam para diferença significante ao nível de 1%, entre os grupos, com vantagens para a resina composta.

Palavras-chaves: Bifurcação; infiltração marginal; perfuração.


Comparação in vitro da resistência à fratura radicular de dentes tratados endodônticamente, portadores de núcleos intraradiculares e submetidos a irrigações com hipoclorito de sódio à 5,25% (Na OCl) durante toda a instrumentação; ou Na OCl 5,25% seguido pôr irrigação após toda a instrumentação, com 10 ml de EDTA 17%

Ano.: 1996

Autor(a).: Marco Aurélio Rodrigues do Prado


Esse estudo "in vitro" determina se a utilização de EDTA 17% pH 7,5 permanecendo por 5 minutos em contato com canais radiculares instrumentados, com solução irrigadora de hipoclorito de sódio a 5,25% (NaOCl) pode influenciar a resistência à fratura de elementos dentários. As raízes foram submetidas a tratamento endodôntico, confecção de núcleos intrarradiculares, e submetidas a teste de carga axial, em máquina de teste universal, aplicada pela face lingual dos corpos de prova. Para isto, foram utilizados 20 elementos dentários do grupo dos caninos, com dimensões similares, que tiveram suas coroas cortadas. Os dentes foram divididos em dois grupos de 10 elementos, denominados G1 e G2, onde somente o G2 sofria ação de EDTA 17%.

Após o emprego de cálculos de média aritmética e desvio padrão, verificamos que os elementos do G1 fraturaram com o emprego, de em média, 98,58 Kgf, apresentando desvio padrão de cerca de 23,3 Kgf. Os elementos do G2 fraturaram com o emprego, em média, de 86,58 Kgf, apresentando desvio padrão de cerca de 15,24 Kgf.

Observa-se que houve em média, a necessidade de aplicação de 12,0 Kgf a mais, para que os elementos que não tiveram contato com o EDTA 17% fraturassem. Isto sugere um percentual de resistência 12,18% maior, aos corpos de prova irrigados somente com o NaOCl 5,25%.


Avaliação da infiltração marginal de alguns materiais utilizados no tamponamento de perfurações radiculares

Ano.: 2005

Autor(a).: Marcos Antonio de Almeida Tavares Filho


Trinta e três dentes humanos unirradiculares tiveram seus canais radiculares instrumentados e obturados. Em seguida, preparou-se uma cavidade em uma das faces proximais da raiz, simulando uma perfuração radicular, a qual foi preenchida com os seguintes materiais: Sealer 26, Mineral trióxido agregado e Vitremer. Os dentes foram imersos em solução de azul de metileno a 2% durante 7 dias. Os resultados obtidos mostraram que o Sealer 26 teve o melhor desempenho, com apenas dois dentes tendo sido penetrados (18,18%). O segundo melhor resultado foi encontrado com o Vitremer, que teve quatro dentes com infiltração (36,36%). O pior resultado foi verificado com o MTA, com o surpreendente percentual de 100% de infiltração (11/11 dentes).


Avulsão traumática de dentes anteriores permanentes

Ano.: 1996

Autor(a).: Maria Cristina Almeida de Souza Silveira


Este estudo foi realizado com o objetivo de orientar e atualizar os cirurgiões-dentistas na terapia de reimplante de dentes permanentes avulsionados.

O reimplante imediato do dente no seu alvéolo pelo próprio paciente ou seus acompanhantes é o melhor tratamento. Atenção às lesões de tecido mole só deve ser dada após o reposicionamento do dente.

O período extra-alveolar e o meio de estocagem do dente são dois fatores determinantes do sucesso ou não do reimplante, pois a vitalidade das células do ligamento periodontal está diretamente relacionada a estes dois fatores.

O prognóstico é favorável ao não surgimento de reabsorção externa da raiz quando o período extra-alveolar não foi superior a 30 minutos. A solução salina balanceada de Hank foi considerada como o meio ideal de estocagem, seguida pelo leite bovino.

Deve-se usar contenção semi-rígida com fio de nylon associado à resina fotopolimerizável por uma semana.

A obturação definitiva do canal só deve ser feita após, em média, 6 a 12 meses ou quando se constatar inexistência ou paralisação de reabsorção radicular.


Patência X comprimento de trabalho

Ano.: 2003

Autor(a).: Maria José de Melo


O objetivo do presente trabalho foi verificar o percentual do extravasamento apical de limas localizadas no limite radiográfico de dentes unirradiculares humanos extraídos e obtidos no banco de dentes da Associação Brasileira de Odontologia de Volta Redonda.

Para tal experimento, foram utilizados cem dentes que foram previamente radiografados e numerados ordinalmente. Através das radiografias, os elementos foram medidos e em seguida promoveram-se aberturas coronárias e posicionamento de limas inicialmente de acordo com a medida radiográfica, depois recuando-se 1 mm e finalmente recuando-se 2 mm a partir da medida inicial. Todos os passos foram anotados e radiografados.

Tais medidas foram então comparadas visualmente para verificar se havia ou não extravasamento do instrumento via forame, lembrando sempre das medidas iniciais e recuos gradativos.

Os resultados mostraram um extravasamento de 100% nas medidas visuais e 90% nas medidas virtuais.

Palavras-chave: Odontometria - Medida virtual - medida visual.


Responsabilidade endodôntica nas lesões de furca

Ano.: 1998

Autor(a).: Maria Lúcia Ribeiro Netto


Foram analisadas lesões radiográficas na área da furca de dentes multirradiculares. Observando-se que mesmo em dentes com canais obturados, com a presença de fístula na bifurcação e diagnóstico suspeito de envolvimento periodontal, poderá ocorrer regeneração óssea plena à partir do retratamento endodôntico. Isto devido a desinfecção das comunicações diretas entre a câmara pulpar e o ligamento periodontal, através dos túbulos dentinários, canais laterais e/ou acessórios. Durante as manobras de raspagem e alisamento das raízes, o cemento poderá ser removido, aumentando ainda mais a chance de um canal acessório drenar na área da bifurcação, o que iria facilitar a perfusão de agentes bacterianos para região.


Selamento apical - Compactação lateral X System B

Ano.: 2003

Autor(a).: Maria Luciana dos Santos Machado

Orientador(a).: Dr. Fernando dos Santos Pereira Silva


A obturação do sistema de canais radiculares é a etapa que completa os procedimentos clínicos de instrumentação e desinfecção do canal. O objetivo da obturação e ocupar todo o espaço que antes era ocupado pelo tecido pulpar, conseguindo, desta forma, a impermeabilização dos sistemas de canais, para atingirmos, assim, o sucesso no tratamento endodôntico. O presente estudo visa testar o grau de infiltração marginal obtido pelas técnicas de compactação lateral e a técnica do System B. Testou-se a infiltração marginal em canais radiculares de dois grupos: grupo I - obturados pela técnica de compactação lateral e grupo II - obturados pelo System B. Os espécimes foram mantidos em estufa a 24ºC, por sete dias, e imersos em azul de metileno a 0,5% com pH 7,2. Não houve diferença significativa no grau de infiltração apical entre os grupos I e II.


Avaliação da infiltração marginal em perfurações do assoalho da cavidade pulpar

Ano.: 2003

Autor(a).: Marcílio de Souza Teixeira

Orientador(a).: Prof. Joaquim Carlos Fest da Silveira


Perfurações podem ocorrer na região do assoalho da câmara pulpar, representando uma situação clínica que pode complicar o tratamento endodôntico. O cimento de ionômero de vidro fotopolimerizável e o agregado trióxido mineral são dois dos materiais propostos mais usados para obturação de tais perfurações. Este trabalho se propõe a comparar as qualidades de formação de barreira contra infiltração marginal desses dois materiais, através de pesquisa laboratorial, juntamente com a comparação dos dados recolhidos na literatura pertinente.

Palavras-chave: perfuração de furca - cimento de ionômero de vidro - agregado trióxido mineral (MTA)


Canais obturados com travamento ou não do cone principal com ou sem impermeabilização por um cianoacrilato

Ano.: 2006

Autor(a).: Michelle Chicarino Oliveira


A capacidade de selamento apical é importante para a manutenção da integridade dos sistemas de canais obturados, de forma que, este não ocorra reinfecção. É necessário que se consiga a impermeabilização do sistema de canais radiculares para o sucesso da terapia endodôntica. No presente estudo verificou-se se o travamento ou não dos cones principais e a impermeabilização ou não com o adesivo cianoacrilato, tiveram influência na impermeabilização dos canais radiculares. Foram utilizados quarenta dentes unirradiculares divididos em quatro grupos: Grupo 1 - espécimes com cones principais travados e obturados com cimento Endoffil; Grupo 2 - espécimes com cones principais travados, impermeabilizados com cianoacrilato e obturados com cimento Endofill; Grupo 3 - espécimes com cones principais não-travados e obturados com cimento Endofill; Grupo 4 - espécimes com cones principais não travados, impermeabilizados com cianoacrilato e obturados com cimento Endofill. Os espécimes foram mantidos em estufa a 37ºC durante trinta dias e imersos em soro fisiológico. Diante da mensuração da penetração marginal do agente traçador, concluiu-se que houve diferença significante entre os grupos.


Reabsorção radicular interna: Compactação Lateral X Compactação Vertical

Ano.: 2007

Autor(a).: Michelle Dittz

Orientador(a).: Dr. Fernando dos Santos Pereira Silva


A reabsorção radicular interna, também denominada de reabsorção intracanal, representa uma patologia de ocorrência relativamente rara, a qual encontra-se associada a injúrias causadas à camada de pré-dentina e de odontoblastos, decorrentes provavelmente de trauma físico ou químico. Devido à ausência de sintomatologia, esta entidade é diagnosticada, geralmente, por meio de exames radiográficos de rotina, nos quais pode-se observar imagem radiotransparente circular alterando o contorno do canal radicular. A reabsorção radicular interna acomete, frequentemente, apenas um dente, embora possa afetar vários elementos dentários. O presente estudo aborda a etiologia, as manifestações clínicas, aspectos histológicos, radiográficos e tratamento da reabsorção radicular interna, bem como apresenta a análise de duas técnicas de obturação, a compactação lateral e a compactação vertical, aplicadas em trinta dentes unirradiculares. Após a análise estatística constatou-se que não houve diferença significativa na capacidade de preenchimento do canal com reabsorção interna, embora na análise radiográfica realizada pelos observadores, o melhor resultado apresentado foi o da técnica de compactação vertical. Quanto à porção apical, a técnica de compactação lateral apresentou um resultado mais positivo. Diante disto, conclui-se que o ideal seria aliar as duas técnicas de obturação.

Palavras-chave: reabsorção radicular interna - compactação lateral - compactação vertical - traumatismo dentário.


Avaliação de Três Seladores Provisórios utilizados em Endodontia com ou sem selamento duplo

Ano.: 2007

Autor(a).: Mônica Guedes Silveira


O selamento provisório da cavidade endodôntica impede a contaminação do sistema de canais radiculares entre as sessões do tratamento. O objetivo do presente estudo foi de avaliar "in vitro" a capacidade de vedamento marginal comparando três materiais seladores provisórios prontos, com e sem associação à guta-percha, formando um selamento duplo, frente à penetração do agente traçador azul de metileno a 0,5%, bem como estabelecer uma classificação de eficiência entre eles. Foram selecionados 63 dentes humanos, molares superiores e inferiores extraídos por motivos diversos, onde foram feitos os acessos coronários, sendo selados com os materiais em estudo, e divididos em 6 grupos da seguinte forma: Grupo I Cavit, Grupo II Citodur, Grupo III Coltosol, Grupo IV Guta-percha + Cavit, Grupo V Guta-percha + Citodur, Grupo VI Guta-percha + Coltosol. Após o selamento os dentes foram imersos no agente traçador, por setenta e duas horas, e analisados após a clivagem, tabulou-se os resultados. A análise estatística mostrou diferença significante sempre que o selamento duplo estava envolvido. Os materiais que apresentaram do menor para a maior infiltração marginal foram: Cavit, Citodur e Coltosol.

Palavras - chaves: 1. Selamento provisório; 2. Infiltração marginal; 3. Selamento duplo.


Avaliação In Vitro do contato da medicação intracanal - PRP com a região apical

Ano.: 2004

Autor(a).: Nelson Ivor Monteiro de Castro Junior

Orientador(a).: Prof. Joaquim Carlos Fest da Silveira


O presente estudo teve como objetivo avaliar in vitro a possibilidade da influência do apical de dentina na ação de contato, da medicação intracanal com a região apical durante o tratamento do sistema de canais radiculares. Para isso foram selecionados 20 pré-molares inferiores, os quais foram divididos em dois grupos de dez. No primeiro grupo foi realizada a técnica do preparo cérvico apical, com recapitulações feitas com a lima tipo K nº 10 no comprimento de trabalho. No segundo grupo, a cada troca de instrumento foi utilizada a lima tipo K nº 8 para manter o forame apical patente,acrescentando-se 1 mm na medida do comprimento de trabalho. Os espécimes foram preenchidos com a solução PRP - corante Rodamina B à 1% e, após 8 horas de incubação, foram seccionados longitudinalmente com o propósito de se verificar a presença desta mistura nos três milímetros finais do canal radicular. Os resultados mostraram que a solução foi capaz de adentrar-se aos milímetros finais do sistema de canais em todos os espécimes.


Relações anatômicas internas e externas de molares

Ano.: 2001

Autor(a).: Paulo Marcelo Valadão


Este estudo procura analisar as variações anatômicas internas e externas de 28 molares. Sendo 07 primeiros molares superiores, 07 segundos molares superiores, 07 primeiros molares inferiores, 07 segundos molares inferiores. A metodologia utilizada foi a injeção de um elastômero de silicone vulcanizável, moldando toda a cavidade pulpar, duplicação do espécime em resina acrílica e total descalcificação do espécime.

Apresenta, com esta técnica, a forma tridimensional da cavidade pulpar alinhados nas formas anatômicas externas originais e internas com suas variações. Este trabalho mostra as imensas variações anatômicas internas que são invisíveis aos olhos do profissional e que, se não forem levadas em consideração, certamente levarão ao insucesso do tratamento.


Comparativo do preparo de canais simulados empregando as limas de níquel - titânio nas técnicas manual e mecanizada

Ano.: 2006

Autor(a).: Rebeca Morais Mendes


Verificou-se a limpeza dos canais simulados quando instrumentados por limas de níquel-titanio em duas técnicas manuais e três técnicas mecanizadas. Para isso, utilizou-se vinte e três blocos de resina padronizados com canais simulados, revestimento interno e curvatura de vinte graus, que foram divididos em cinco grupos, dos quais dois com quatro, e três com cinco blocos.

Após a instrumentação, adotou-se o critério de dividir os canais em três partes: terços cervical, médio e apical. Para análise visual com a ajuda de um negatoscópio.

Conclui-se então que as limas de níquel-titanio usadas pelas técnicas manuais produziram mais desvios apicais que pelas mecanizadas; que nenhuma técnica foi efetiva na limpeza do terço apical e que este se mostrou o ponto mais crítico em sua parede interna de curvatura.

Palavras-chave: técnicas de instrumentação, endodontia, canal simulado.


Resistência à tração de cimentos na retenção de pinos metálicos fundidos

Ano.: 2004

Autor(a).: Ricardo Abukater Valle

Orientador(a).: Prof. Joaquim Carlos Fest da Silveira


O dente endodonticamente tratado muitas vezes necessita de um reforço para receber a restauração, que usualmente é realizado sob a forma de pino. Os pesquisadores buscam materiais que proporcionem maior durabilidade e resistência ao conjunto que constitui a restauração, na forma dos seus materiais componentes, como materiais restauradores propriamente ditos, cimentos, tipos ele pinos e ligas metálicas. Um material que tem apresentado grande evolução é o cimento, em particular os cimentos resinosos, que passaram por muitas inovações a partir da década de 50. Conseqüentemente, estudos têm sido realizados, mostrando a viabilidade do uso desse material para a confecção de restaurações e cimentação de pinos metálicos.


Estudo in vitro da resistência a fratura de molares superiores tratados endodonticamente e restaurados com amálgama de prata ou resina composta, tendo como base cimento fosfato de zinco ou ionômero de vidro

Ano.: 1996

Autor(a).: Ricardo Kirchmeyer Motta


Esse estudo "in vitro" procura determinar a resistência à fratura de dentes molares superiores endodonticamente tratados e restaurados com amálgama de prata ou resina composta, tendo como base o cimento fosfato de zinco ou ionômero de vidro.

Para isto, foram usados 20 elementos dentários do grupo de molares superiores. Os dentes foram divididos em quatro de cinco elementos, sendo o 1º grupo composto de cimento fosfato de zinco e restaurado com amálgama de prata; o 2º grupo composto de cimento fosfato de zinco e restaurado com resina composta; o 3º grupo composto de ionômero de vidro e restaurado com resina composta e o 4º grupo, com elementos dentários íntegros sem cárie ou restauração, servindo como grupo de controle.

Os espécimes restaurados foram armazenados em água, à temperatura ambiente por cinco dias, até a realização dos testes d esforço na máquina de teste de a Amorim e Pereira. A cada dente de cada grupo foi aplicada uma carga contínua até que fraturassem.

Os resultados obtidos nas condições em que este trabalho foi realizado nos mostrou que a média dos valores obtidos pelo grupo do ionômero de vidro + resina composta foi superior aos demais, quando submetido a cargas axiais, porém quando esses resultados receberam tratamento estatístico, foram reveladas diferenças significantes apenas entre o grupo ionômero de vidro + resina composta contra o grupo fosfato de zinco + resina composta. A análise dos outros não revelou diferença significante.


Estudo in vitro das variações anatômicas internas na raiz mísio-vestibular de primeiros molares superiores permanentes humanos, utilizando diafanação

Ano.: 1999

Autor(a).: Rosa Maria Soares dos Santos


Foi realizado um estudo in vitro a fim de analisar as variações anatômicas internas encontradas na raiz mésio-vestibular de 95 primeiros molares superiores permanentes humanos, avaliando também o tipo de terminação do(s) canal(is) observado(s). A metodologia utilizada para a pesquisa foi a descalcificação-diafanização associada à injeção de tinta nanquim no interior da cavidade pulpar. Esta técnica torna o dente transparente, proporcionado uma visão tridimensional sem que ocorra modificação da sua forma original, e conseqüentemente possibilitando observar possíveis alterações existentes nos canais radiculares. Completada a diafanização os espécimes foram analisados com auxílio de negatoscópio e uma lupa de 3x. Os resultados demonstraram que 40 (42,10%) espécimes apresentaram um canal, 53 (55,78%) dois canais e 2 (2,10%) três canais.


Infiltração marginal dos cimentos Enforce e Fosfato de Zinco quando da cimentação de núcleos metálicos fundidos

Ano.: 2001

Autor(a).: Simone da Costa Barros


A proposta do presente experimento foi avaliar "in vitro" a infiltração marginal na porção cervical de canais radiculares, submetidos a tratamento endodôntico, preparo infra-radicular e cimentação de núcleos metálicos fundidos com o emprego dos agentes cimentantes Enforce e Fosfato de Zinco. Foram empregados 20 dentes humanos unirradiculares e núcleos metálicos fundidos de cobre-alumínio, divididos em dois grupos: Grupo I com dez dentes e respectivos núcleos, cimentados com cimento resinoso dual Enforce; Grupo II com dez dentes e núcleos cimentados com cimento Fosfato de Zinco. Os resultados obtidos com o auxílio da infiltração do corante azul-de-metileno 0,5% pH, e leituras por meio de um projetor de perfil, indicaram não haver diferença estatisticamente significante entre os dois agentes cimentantes testados.


Avaliação do selamento marginal apical de dois tipos de cimentos endodônticos

Ano.: 2004

Autor(a).: Tânia Nunes Soares

Orientador(a).: Dr. Fernando dos Santos Pereira Silva


A fim de permitir melhor qualidade no resultado final das obstruções e uma condição biologicamente favorável à reparação da região periopical, o presente estudo teve como objetivo verificar a eficácia do 2-octil-cianoacrilato como substância obturadora, quando associado a dois cimentos convencionais. Quarenta caninos permanentes humanos divididos em quatro grupos foram utilizados para verificar o comportamento impermeabilizante do adesivo junto a guta-percha e aos cimentos: Endofill e AH Plus, comparados à capacidade seladora dos mesmos em obturações convencionais sem o acréscimo do adesivo. Os resultados obtidos mostraram que o 2-octil-cianoacrilato (Dermabond), sempre melhorou a capacidade de selamento dos cimentos, sendo que o melhor resultado foi obtido com o AH Plus. Porém não houve diferença estatisticamente significativa quando comparado ao Endofill. Os valores de permeabilidade marginal decrescem na seguinte ordem: G III(2,12%); G IV(1,75%); G I(0,92%) e G II(0,47%).

Palavras-chave: Selamento - infiltração - cimentos


Avaliação in vitro de materiais usados como tampão vertical durante o clareamento dental não vital

Ano.: 2000

Autor(a).: Tatiana Jorge Fernandes


O objetivo do presente trabalho foi avaliar a capacidade de vedamento na região cervical de quatro diferentes materiais utilizados como tampão durante o clareamento não-vital. A amostra foi constituída de 50 dentes humanos unirradiculares recém-extraídos. Após a inserção do tampão cervical, foram feitas sucessivas trocas do agente clareador empregado, através da técnica mediata de clareamento (perborato de sódio associado ao peróxido de hidrogênio a 30%). Após a última sessão do clareamento, os dentes foram seccionados em corte transversal, através de um micrótomo de tecido duro, e analisada a penetração do agente clareador. Os dentes foram seccionados em 6 grupos a saber: Grupo 1 (5 dentes) - controle negativo sem tratamento clareador; Grupo 2 (5 dentes) - controle positivo com tratamento clareador e sem tampão; Grupo 3 (10 denteas) - cimento oxifosfato de zinco; Grupo 4 (10 dentes) - compômero; Grupo 5 (10 dentes) - sulfato de cálcio; Grupo 6 (10 dentes) - cemento endodôntico Sealer 26 associado à guta-percha. Os resultados foram tratados estatisticamente e indicaram ser o sulfato de cálcio o material mais efetivo como tampão cervical, uma vez que não ocorreu a penetração do agente clareador na superfície do cemento em nenhuma das amostras. Não houve diferença e estatisticamente significante entre o cemento oxifosfato de zinco e compômero. O cemento endodôntico Sealer 26 associado à guta-percha apresentou os piores resultados.


Influência da remoção do magma dentinário na difusão do hidróxido de cálcio no sistema de canais radiculares

Ano.: 2003

Autor(a).: Valéria Cauduro Periard da Silva


O presente estudo tem por objetivo analisar a influência da remoção do magma dentinário na difusão do hidróxido de cálcio pelo sistema de canais radiculares. Os espécimes foram divididos em três grupos: grupo I instrumentação, irrigação com (NaOCI) à 5,25% e irrigação final com água destilada; grupo II - idem ao grupo I mais irrigação com EDTA à 17%;. grupo III (controle) - idem ao grupo I. Os espécimes dos grupos I e II foram preenchidos com hidróxido de cálcio. Já os espécimes do grupo controle foram deixados com água destilada. Em seguida, foram realizadas leituras periódicas do pH de todos os espécimes. Os resultados mostraram que: o magma dentinário não interferiu na difusão dos íons hidroxila; nas três primeiras horas já se fez sentir o efeito do hidróxido de cálcio no pH do experimento; o período máximo de efetividade do hidróxido de cálcio foi de sete dias.


Avaliação in vitro da capacidade seladora de alguns materiais usados na obturação retrograda

Ano.: 2000

Autor(a).: Viviane Lucas Lima e Silva


O objetivo do presente estudo, in vitro, foi avaliar a capacidade seladora de cinco materiais usados na retrobturação. Para este, foram necessários 50 dentes humanos unirradiculares, extraídos por razões diversas, nos quais tiveram seus canais instrumentados e obturados com guta-percha e cemento obturador. A importância da obturação retrógrada, Com isso dividimos os dentes em 5 grupos, com seus respectivos materiais obturadores: Grupo I - sulfato de cálcio; Grupo II - pasta zinquenóica Lysanda; Grupo III - cemento Super-EBA; Grupo IV - ionômetro de vidro; Grupo V - guta-percha termoplastificada brunida à frio. Após as retrobturações, foram colocados na solução de azul de metileno à 0,5% pH 7,2 por 72 horas. Feito o teste de infiltração do corante, os mesmos foram abertos com disco de carborundum no sentido longitudinal. O material que sofreu menor infiltração do corante foi o Grupo II, seguido dos grupos IV, III, I e V.


Terapia com Hidróxido de Cálcio nas avulsões dentais

Ano.: 2004

Autor(a).: Willian Carlos Reis Rocha


Este estudo mostra um caso relacionado a um tratamento dentário no qual foi avulsionado o elemento dental 11 e traumatizado o elemento 21. A terapêutica realizada foi a sucessiva troca de pasta de hidróxido de cálcio (Calen), como medicação intracanal. O paciente apresentou-se para tratamento, relatando atendimento por outro profissional. Durante os 18 meses de tratamento, nos quais foram realizadas as trocas de medicação, o paciente foi submetido a um rigoroso exame radiográfico onde foi constatada a presença de lesões apicais, em decorrência da, necrose pulpar e contaminação por microorganismos e presença de várias áreas de reabsorção no elemento 11. A conduta proposta foi adotada para ambos os dentes. Os elementos apresentaram excelente resposta ao tratamento, as lesões apicais regrediram por completo e a reabsorção nos parece estabilizada.